0

Fábio Câmara: “gente cuida de gente, independentemente de religião”

fabio

O candidato a prefeito de São Luís pelo PMDB, vereador Fábio Câmara, intensificou nesta semana agendas de campanha entre os evangélicos da capital. Segundo ele, nos últimos dias já houve reuniões com lideranças de denominações do Coroadinho, Parque Vitória, São Raimundo e Vila Luizão.

Ele diz que tem sido procurado por eleitores desiludidos com as propostas de campanha dos candidatos organicamente evangélicos, o prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT), candidato à reeleição pela coligação “Pra seguir em frente”, e a deputada federal Eliziane Gama (PPS), da coligação “São Luís de verdade”.

“Uma coisa é falar, outra coisa é praticar. Vários evangélicos me procuraram, dizendo que não estão tendo essa atenção dos que se dizem homens e mulheres de Deus. Não estão tendo esse acolhimento e nós estamos tendo agendas fortes com o povo evangélico”, afirmou.

Católico praticante, como faz questão de ressaltar, Câmara acredita que a diferença de religião não deve ser um impeditivo para a atração do eleitorado.

“Eu sou um homem católico apostólico romano praticante. Mas efetivamente com Deus no coração e adepto da tese de que gente cuida de gente, independentemente de credo, de religião”, completou.

Estratégia – A ofensiva do peemedebista nessa camada do eleitorado tem uma razão de ser: a mais recente pesquisa Escutec/O Estado aponta que ele tem apenas 3,1% dos votos dos evangélicos ludovicenses. O desempenho só melhor que os de Cláudia Durans (PSTU) e de Valedny Barros (PSOL), da coligação “São Luís, o caminho é pela esquerda”.

Para conquistar o voto, o vereador tem a estratégia marcada pelo discurso. Defenderá durante a campanha que o prefeito, seja de que religião for, deve tratar dos interesses da cidade enquanto estiver investido no cargo de gestor municipal.

Para ele, questões religiosas devem ser relegadas ao plano pessoal, ao foro íntimo do cidadão que estiver à frente do Executivo Municipal.

“O prefeito de São Luís tem que ser laico, tem que entender que ele é o prefeito de uma cidade e não deve ter, o prefeito, uma religião. O cidadão pode ter sua religião, mas o prefeito, enquanto gestor, não deve ter religião, ele deve cuidar do povo da nossa cidade, independentemente de religião”, analisou.

0

Eudes Barros realiza visita na Vila Laci em Raposa

ma 2O candidato Eudes Barros (PR) e seu vice Profº Afonso (PMDB) estão esbanjando bastante otimismo com a boa receptividade que tiveram no bairro Vila Laci, durante a visita realizada na tarde desta terça-feira (23). Os dois candidatos, apoiados por um grupo de candidatos a vereadores, correligionários e lideranças políticas, entre eles, Félix Moreira (PEN), de forma simples e humilde, adentraram residências, comércios e etc e partiram sem medo para o corpo a corpo com os eleitores. Uma forma de ouvir as reivindicações e conversar cara a cara com o eleitor, pois uma boa conversa e um afago carinhoso terminam convencendo quem estava indeciso, ou até mesmo conseguindo sua adesão.

O candidato do PR, vem fazendo, inicialmente, uma campanha pé no chão, e pelo jeito os sinais dados pelo povo raposense são satisfatórios, com forte tendência de cada vez o trabalho dos republicanos se ampliar mais e mais. A razão deste pensamento é simples, o carisma e o bom relacionamento que Eudes Barros sempre teve com a população no dia a dia deverá fazer a diferença. Com o reforço para o ‘confronto’ direto com o eleitorado, o candidato a vice Profº Afonso, com largo serviço social prestado no município como educador, vem sendo uma peça fundamental nas visitações diárias.

Enquanto os discursos de palanques não se iniciam, Eudes Barros luta para chegar à prefeitura de Raposa de forma direta e objetiva, usando sua principal estratégia, que é o diálogo com a população.

ma 1materia 5 materia 6 materia 7 materia 8 materia 10

 

0

Vereador de Governador Nunes Freire é executado

esmilton

O vereador de Governador Nunes Freire, Esmilton Pereira dos Santos, de 45 anos, foi executado ao chegar a sua residência, num povoado da cidade. O crime aconteceu por volta das 22h30.

A violência foi tamanha que, segundo informações da própria Polícia Militar, foram encontradas mais de 15 perfurações de bala no corpo do vereador Esmilton. O parlamentar que estava no seu quarto mandato e buscava reeleição pertencia ao PRB.

Apesar de ser natural de Lago Verde, Esmilton fez carreira política em Governador Nunes Freire. O parlamentar era conhecido como o vereador dos pescadores. Esmilton, segundo seus dados junto a Justiça Eleitoral, era solteiro e pretendia gastar algo em torno de R$ 10 mil para tentar sua nova reeleição.

Ao que tudo indica, infelizmente, foi mais um crime de encomenda praticado no Maranhão. Entretanto, resta saber se a execução do vereador Esmilton tem algo a ver com a política partidária, afinal estamos em ano eleitoral e em plena campanha.

Segundo – O curioso é que em 2014, outro vereador de Governador Nunes Freire foi assassinado. No dia 10 de março, morreu o vereador Paulo Lopes Sales (PT), 36 anos, após ter sido encontrado com várias fraturas no crânio, por suposto espancamento, na BR-316, entre Governador Nunes Freire e Maracaçumé, no dia 1º de março.

Naquela oportunidade, a Direção Estadual do PT, através do presidente Raimundo Monteiro, levantou a possibilidade de crime político.

0

BOMBA! Talita Laci é impugnada por não pagar multas eleitorais em Raposa-MA.

Fonte: Blog do Joceilton Gomes

TALITA00001
Nas eleições municipais de 2012 em Raposa/MA, Talita Laci, que foi candidata a prefeita pelo partido PCdoB,  durante a campanha eleitoral de 2012,  foi multada nos valores de R$ 5.000,00 (cinco mil reais) e R$ 20.000,00 (vinte mil reais) por ter sistematicamente descumprido decisão judicial que determinou, na campanha eleitoral de 2012, a suspensão do ato de realização de passeatas e caminhadas, com a utilização, em massa, de camisas vermelhas com o símbolo e o nº 65 do PCdoB.

Talita Laci foi, à época, notificada pela Justiça Eleitoral  para efetuar o pagamento das multas eleitorais por propaganda irregular, no prazo de 30 (trinta) dias, sob pena de ter seu nome inscrito na dívida ativa e no cadastro eleitoral, conforme atestam mandados de citação assinados por Talita.

 Embora tenha sido devidamente notificada pela Justiça Eleitoral para efetuar o pagamento  das multas eleitorais, Talita Laci manteve-se inerte, deixando expirar o prazo legal de 30 dias, sem pagar as referidas multas eleitorais.

Ocorre que, pela legislação eleitoral, as multas eleitorais só poderiam ser pagar ou parceladas antes do registro da candidatura, para que pudesse ter condições indispensáveis de registrabilidade de sua candidatura.

No entanto, Talita Laci, inadvertidamente, protocolou o pedido de registro de sua candidatura na Justiça Eleitoral sem tomar qualquer providência com relação às referidas multas eleitorais.

Assim, em razão da falta de pagamento das multas eleitorais ser uma condição  insanável, sem “jeitinho” a situação é de completo desespero dos 65, pois a candidata deve ser rifada da disputa eleitoral desse ano, por absoluta falta  de atenção nas regras eleitorais. Em razão do indeferimento iminente da candidatura de Talita, já se cogita à “boca miúda” que o candidato da coligação dos 65 deve ser a mãe da impugnada, Régia Laci, ou o irmão, Leonardo.

Vamos aguardar os próximos capítulos.

20160819_145150 (1)
20160822_150553
20160819_145150
20160819_144549
20160819_144108

0

Gestores e ex-gestores públicos com contas reprovadas deverão ser declarados inelegíveis pelo TRE

Ao contrário do que foi espalhado ou equivocadamente interpretado dando sobrevida aos milhares de gestores e ex-gestores públicos, a Lei da Ficha Limpa continua vigorando neste país. caberá agora aos Tribunal Regional Eleitoral de cada Estado ou ao Superior Tribunal Eleitoral declarar quem é elegível ou não. No Maranhão, centenas de candidatos podem ter os registros de candidaturas indeferidos pela análise do TRE ou provocadas por candidatos e partidos, conforme lista mais abaixo.

tcu-concurso-2016O TCE local e o TCU divulgaram ontem a relação dos fichas sujas do Maranhão, deixando claro que, após o julgamento pelo Supremo Tribunal Federal, caberá agora ao TRE dos estados rejeitar a candidatura dos que tiveram as contas irregulares durante a fiscalização de recursos públicos federais e estaduais.

No entendimento do TCU, todos os que foram condenados por omissão na prestação de contas, que não obedeceram normas de licitações, ou que desviaram os recursos, são fichas sujas e, portanto, devem ter os registros indeferidos nesta eleição.

E mais: que da lista que foi encaminhada ontem ao TSE, as contas analisadas não terão mais como ser revertidas pelo TCU através de quaisquer recursos.

Ao TCU e TCE não cabe mais declarar quem é inelegível ou não, mas é de competência da Justiça Eleitoral punir os que não se enquadrarem na Lei da Ficha Limpa.

0

Eliziane muda local de concentração para ato de campanha

eliziane

A deputada federal Eliziane Gama, candidata do PPS a prefeita de São Luís, decidiu mudar o local de concentração do seu primeiro ato de campanha.

Ela fará amanhã (16), uma caminhada pela Rua Grande.

Inicialmente a concentração para o evento estava marcada para as 15h na Praça João Lisboa. Mas a popular socialista decidiu alterar a programação para a Praça Deodoro, no mesmo horário.

Motivo: no local inicialmente agendado já estava marcada a concentração da caminhada do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) – saiba mais.

0

Lidiane Leite é novamente afastada da Prefeitura de Bom Jardim

lidiane

A juíza Leoneide Delfina Barros, da 2ª Vara da Comarca de Zé Doca, acatou um pedido de reconsideração formulado pelo promotor de justiça Fábio Santos de Oliveira, titular da Comarca de Bom Jardim, e afastou mais uma vez Lidiane Leite da Silva (DEM) do cargo de prefeita de Bom Jardim.

Ela havia sido reempossada na terça-feira (9) – reveja.

O pedido de afastamento liminar já havia sido solicitado pelo Ministério Público do Maranhão (MPMA) em 2015, em virtude de alegados prejuízos causado pela prefeita aos cofres públicos municipais – ela é acusada de desvios que chegam à casa dos R$ 15 milhões.

Entretanto, a Justiça declarou prejudicada a apreciação do pedido porque, à época, Lidiane Leite havia sido cassada.

Como ela retornou ao comando da Prefeitura nesta semana o promotor de Justiça argumentou, então, que é necessária a análise do pedido de afastamento liminar, pois as irregularidades, segundo ele, permanecem.

Além de afastar Lidiane, a magistrada determinou o afastamento, também, do presidente da Câmara Municipal, vereador Arão Silva (PTC). Nesse caso, ela também acatou pedido do MP, que apontou ato de improbidade do parlamentar ao negar informações sobre a revogação do decreto de cassação do mandato da prefeita,

Para o promotor Fábio de Oliveira, que propôs a ação, além de violar os princípios da transparência e boa-fé, o vereador infringiu a Lei de Acesso à Informação, que só permite que documentos sejam mantidos em sigilo quando necessários à segurança, o que não é o caso. “A negativa de acesso ao referido documento tem o nítido intuito de dificultar a fiscalização exercida pelo Ministério Público de Bom Jardim, pois ele sabe que a revogação do decreto legislativo configurava uma afronta à Recomendação n° 02/2015”, observa.

O despacho judicial é pela posse imediata da vice-prefeita, Malrinete Gralhada (PMDB).

A defesa da prefeita afastada informou que ingressará com um agravo de instrumento no Tribunal de Justiça contra a decisão.

0

Justiça determina afastamento e bloqueio de bens do prefeito de Pio XII

Também foi determinado o afastamento e o bloqueio dos bens dos Secretários de Educação, Administração e de Finanças e do procurador geral de Pio XII.

Prefeito-Paulo-Roberto-Sousa-Veloso

Em decisão datada dessa quarta-feira (10), o juiz Raphael Leite Guedes, titular da Comarca de Pio XII, determina o afastamento do prefeito do Município, Paulo Roberto Sousa Veloso, dos secretários de Educação, Administração e de Finanças, respectivamente Iara Adriana Araújo Portilho, Antonio Roberval de Lima e Melquizedeque Fontenele Nascimento, além do procurador geral de Pio XII, Michel Lacerda Ferreira por atos de improbidade caracterizado pela existência de servidores “fantasmas” no Município.

De acordo com a decisão, o presidente da Câmara Municipal deve ser comunicado para “proceder a convocação de sessão solente extraordinária e lavratura da respectiva ata e termo de posse e exercício provisório em favor do vice-prefeito”. A documentação comprobatória da decisão deve ser encaminhada ao Juízo em até 72 horas “a contar da intimação pessoal da presente decisão”.

Ainda na decisão, o magistrado determina a indisponibilidade dos bens – imóveis, veículos, valores depositados em contas bancárias – de todos os citados, limitado à quantia de R$ 2.978.406,88 milhões, dos quais R$ 2.478.406,88 milhões decorrentes de prejuízo ao Erário pelo pagamento de “funcionários fantasmas”. Os outros R$ 500,000,00 correspondem a valor de eventual condenação por danos sociais.

O bloqueio de valores existentes nas contas dos citados deve ser feito através do BACENJUD, ficando as contas bloqueadas até ulterior deliberação judicial. Prefeito, secretários e procurador ficam impedidos de realizar quaisquer movimentação nas contas da Prefeitura de Pio XII.

Parentes – A decisão do juiz atende à Ação Civil Pública por Ato de Improbidade Administrativa interposta pelo Ministério Público do Estado do Maranhão em desfavor dos anteriormente citados em face da conStatação de “funcionários fantasmas” no âmbito do Poder Executivo do Município, entre os quais parentes do prefeito e dos secretários.

Segundo o juiz em suas fundamentações, “os graves fatos narrados e comprovados pelo representante do Ministério Público” levam ao entendimento que o prefeito e os secretários “transgrediram as normas constitucionais com a nomeação de inúmeros ‘funcionários fantasmas’, dentre os quais se constata a existência de familiares destes”. Entre os comprovados funcionários do tipo listados pelo magistrado, sobrinhas do prefeito – três das quais residentes em São Luís, Paraguai e Bolívia – supostamente ocupando os cargos de assessoras de secretarias municipais de Pio XII, irmã e ex-genro do administrador municipal, além de esposa, filhas e sobrinhos de secretários.

Esquema – Raphael Guedes destaca ainda testemunho de servidora da Administração Municipal que comprova a formação de “esquema” praticado pelos gestores municipais, a fim de tentar, após o início das investigações do MP, “criar um aspecto de legalidade à situação de pessoas que recebiam dos cofres públicos e que se encontravam na folha de pagamento sem qualquer portaria de nomeação para ocupar o cargo público neste Município”.

Investigações – De acordo com o juiz, o “esquema” teria sido relatado com detalhes pelo secretário de Administração de Pio XII quando de depoimento perante o Ministério Público. No depoimento, o secretário relatou ainda a participação do procurador geral do Município no “esquema municipal de desvio de verbas”, que teria estaria presente no momento em que ele (secretário) fez a folha de pagamento.

Para o magistrado, o afastamento do prefeito, secretários e procurador visa a evitar, entre outras situações, que os gestores subtraiam ou destruam provas imprescindíveis a fim de prejudicar a continuidade das investigações que já descobriram um prejuízo de aproximadamente R$ 2.500.000,00 (dois milhões e quinhentos mil reais).

Fonte : Blog do Neto Ferreira